terça-feira, 8 de junho de 2010

Há momentos – talvez este seja
Um deles
Em que precisamos nos
Levar mais a sério, ou morrer,
Quando temos que nos livrar das encantações,
Ritmos pelos quais nos temos
Movido, irrefletidamente,
E resgatar a nós mesmos,
Preservar-nos
Para o silêncio, ou a escuta
Atenta, desobstruída
De oratória, fórmulas,
Estribilhos
Lamentos;
Da estática
Que sobrecarrega os fios...

De Adrienne Rich

Um comentário:

Nicole Rodrigues disse...

Belíssimo.

É uma pena que eu não possa incluir a Adrienne no hall de úteros vazios, já que ela pariu 1,2,3 vezes. Mas isso não a torna menos interessante de nenhuma forma, por isso continuo a lê-la com um interesse cada vez maior.

Que bom encontrar alguns versos dela por aqui, no seu espaço.

Um abraço,

Nicole